jogos digitais

Inicialmente tratados apenas como forma de entretenimento, os jogos digitais evoluíram tanto nas últimas décadas que podem ser considerados verdadeiras obras de arte. Isso sem contar que esse segmento é um grande mercado de atuação, já que deve movimentar cerca de US$ 81,1 bilhões no mundo em 2019, segundo o site Statista. Um dos chamarizes desse mercado é que games de gráfico e jogabilidade simples como Super Mario e Pac-Man, que foram sucesso na década de 1980, deram lugar a grandes produções, com gráficos detalhados, enredos mais elaborados e uma jogabilidade cada vez mais complexa e similar à realidade.

No Brasil, os jogos digitais ganharam tanta popularidade que hoje fazem parte do hábito de consumo de pessoas de todas as faixas etárias. Afinal, quem não tem uma tia ou um tio que já foi viciado em Candy Crush ou um sobrinho ou irmão mais novo que saiu por aí caçando Pokémons? Como esse mercado segue crescendo ano após ano, as produções locais também têm crescido na mesma proporção, o que torna esse campo muito promissor para quem quer se especializar nessa área de atuação. Se você se interessa por esse setor da economia, saiba mais sobre a profissão de quem atua na criação e desenvolvimento de jogos digitais. 

jogos digitais

Você sabia? O Brasil é um dos maiores produtores de jogos digitais

De acordo com um levantamento da Newzoo, em 2017 o Brasil ocupava a 13º posição no ranking dos maiores produtores de games do mundo. Além disso, olhando apenas para o mercado da América Latina, o Brasil era líder do setor em 2017. Esse mesmo estudo ainda apontou que, naquele ano, o País tinha 66,3 milhões de gamers.

A 18ª Pesquisa Global de Entretenimento e Mídia 2017 – 2021, da PWC, mostra que em 2016 o Brasil movimentou US$ 644 milhões com o mercado de games. A projeção, com base em um crescimento médio de 17% ao ano, é que em 2021 o gasto com jogos digitais no território nacional chegue a US$ 1,4 bilhão.

Apesar de ocupar uma posição de destaque, o mercado brasileiro ainda tem muito espaço para crescer. Hoje, a maior parte das produtoras são empresas de pequeno e médio porte, enquanto que o mercado independente é vasto. Isso faz com que o número de oportunidades de trabalho seja alto, mas os salários iniciais podem variar muito.

Por outro lado, formar-se em uma profissão de um mercado em crescimento traz boas perspectivas para o futuro próximo. O progresso da área nos últimos anos indica que quem buscar expertise e qualificação agora para ser um profissional de destaque nesse mercado colherá bons frutos em pouco tempo, estando imerso em uma carreira que tem tudo para ser longeva.

Além disso, quem começa atuando nesse mercado tem ótimas perspectivas de atuação não apenas no Brasil, mas também no mercado exterior. Ainda de acordo com o site Statista, o mercado que deve faturar, a nível global, US$ 81,1 bilhões em 2019, chega a cerca de 1,7 bilhões de pessoas crescimento de 4,9% e 5,7%, respectivamente. 

Em 2023, esse mercado deve faturar cerca de US$ 92,1 bilhões globalmente, somando 2,2 bilhões de usuários de jogos mobile. Segundo os dados do site Statista, 37,8% dos usuários, em 2017, tinham entre 25 e 34 anos de idade. Em seguida apareciam os jogadores entre 35 e 44 anos, que representam 24,5% do total, e os que tinham entre 18 e 24 anos de idade, com participação de 23,2%. 

Os cinco principais mercados em faturamento terrenos perfeitos para quem deseja se qualificar na área e ter uma carreira internacional são os seguintes: China, com US$ 22,8 bilhões; Estados Unidos, com US$ 17,4 bilhões; Japão, com US$ 11,4 bilhões; Reino Unido, com US$ 3,1 bilhões; e Coreia do Sul, com US$ 3 bilhões. 

Por que seguir a trilha dos jogos digitais?

Até pouco tempo, o uso de jogos era associado somente a videogames. Mais tarde, começou a ser vinculado a computadores, até chegar, atualmente, ao desenvolvimento de games para smartphones, que cresce em velocidade maior do que nas outras plataformas. Os jogos digitais vão desde produções mais simples, oferecidas gratuitamente e monetizadas por meio da venda de objetos ou equipamentos virtuais como armas, vestimentas ou algum tipo de bônus, até obras que se assemelham a grandes produções cinematográficas.

As marcas também têm apostado no desenvolvimento de games como estratégia de marketing e popularização de seus produtos, enquanto profissionais da educação estudam formas de tornar os jogos digitais grandes aliados do processo de ensino e aprendizagem. Esse cenário mostra que há um universo amplo e com diferentes nichos a serem explorados por quem pretende se especializar nessa área de atuação.

O 2º Censo da Indústria Brasileira de Jogos Digitais indicou crescimento do mercado de jogos eletrônicos em todas as regiões. Apesar desse “crescimento generalizado”, a maioria das empresas do setor ainda se concentra nas Regiões Sul e Sudeste. O estudo mostra ainda que a maior parte das organizações é pequena, com faturamento anual inferior a R$ 81 mil, e tem menos de cinco anos de existência.

Ainda de acordo com o levantamento, em 2018 o Brasil tinha 375 desenvolvedores de jogos digitais (164% a mais do que quatro anos antes). Entre 2016 e 2018, foram produzidos 1.718 games, sendo que 43% deles eram voltados para dispositivos móveis. Mais da metade, 874, eram jogos educativos. O segundo maior número era de jogos voltados para o entretenimento, que somavam 785 títulos.

Ou seja, todos esses números mostram o grande potencial desse setor e como ainda há muito espaço para quem deseja se especializar nessa área. Além disso, o mercado é promissor tanto dentro quanto fora do País. 

jogos digitais

Como funciona a carreira de quem é formado em Jogos Digitais

Gostar de jogar videogame é um dos pré-requisitos para essa área de atuação, mas não o mais importante. Um bom jogador não será necessariamente um bom desenvolvedor de jogos. Por isso, se você pensa em se especializar nessa área somente por ser um bom player, tenha cuidado para não se decepcionar.

Você sabia que a produção de alguns jogos pode levar anos? Isso quer dizer que até estar pronto para ser testado, um novo jogo demandará muito tempo de criação e de desenvolvimento técnico. Por isso, não é preciso, necessariamente, ser um grande conhecedor de jogos digitais para se destacar nesse mercado. Conhecimento em programação e design gráfico, por exemplo, têm mais valor do que uma vasta experiência como usuário.

A indústria de games tem aspectos muito semelhantes à do mercado cinematográfico. Grandes empresas procuram especialistas em campos bem específicos e as companhias menores, ou produtoras independentes, precisam de profissionais capazes de atuar em múltiplas tarefas e permear por diferentes áreas do setor. Este último é, portanto, o perfil mais procurado hoje na profissão ao menos dentro do Brasil.

Outra possibilidade de atuação que ganha espaço nesse mercado é trabalhar por conta própria, isto é, ser um prestador de serviços para empresas da área como freelancer. Se você tem um perfil empreendedor e gosta de trabalhar em casa, essa pode ser uma boa alternativa. 

Esse caminho também pode ser interessante para quem deseja começar a trilhar um caminho de atuação internacional mas não deseja, em um primeiro momento, morar fora do País. Sendo especialista na área, você pode até trabalhar de forma remota e a distância para empresas estrangeiras claramente, isso será mais fácil depois de você já ter adquirido experiência na área e poder apresentar um portfólio de trabalhos realizados.

Áreas de atuação para quem escolher essa profissão

As oportunidades de trabalho mais buscadas dentro desse mercado são as de programador e de artista gráfico. Todavia, os formados na área também podem atuar em outros campos, como produção de roteiro, testes de jogabilidade, entre outros. 

Confira mais sobre algumas das principais áreas de atuação para quem quer trabalhar no setor de jogos digitais:

1. Programação

Por trás de cada movimento de um personagem do jogo há um conjunto de códigos e fórmulas. A programação é responsável por toda a funcionalidade do game, tratando-se de uma etapa complexa e que exige um perfil técnico. Esse campo de atuação é um dos que apresenta maior volume de oportunidades na área.

2. Arte gráfica

Antes da criação dos personagens, cenários e objetos do game, há um estudo para a elaboração da identidade visual, como o estilo do traço, a paleta de cores que será utilizada, o desenvolvimento do molde 3D e todos os elementos que darão a cara do game. A arte gráfica de um game, portanto, é uma parte fundamental para a identidade do jogo e um grande apelo comercial para que o produto emplaque entre os gamers e no mercado.

jogos digitais

3. Design de games

Essa é uma área que se divide em outras subáreas. Tem o designer que, a partir da base criada pelo artista gráfico, desenvolve todos os detalhes visuais dos personagens e cenários. Há também o profissional que planeja as fases e missões do jogo. 

Também fazem parte do time de design do jogo um redator, responsável por estruturar e criar os diálogos, e um designer de mecânica, responsável pelas regras de movimentação de cada personagem. Em empresas pequenas é comum que um mesmo profissional acabe cuidando de várias ou mesmo de todas essas frentes.

4. Roteiro

Responsável pelo desenvolvimento do roteiro do jogo, ou seja, da trama do produto. Entre os jogos de aventura, por exemplo, se destacam aqueles com enredos bem elaborados e possibilidades de desfechos diferentes de acordo com as decisões e atitudes tomadas pelo personagem principal no decorrer da história. 

5. Designer de áudio

Trabalha como uma espécie de “sonoplasta” dos games. O designer de áudio é responsável pela criação de todos os efeitos, trilhas e elementos de áudio do jogo.

6. Testador de jogos

Essa costuma ser a profissão dos sonhos para os amantes de videogame, que geralmente pensam: “sério que é possível ganhar dinheiro para jogar?”. Mas essa função é bastante exigente também, além de prazerosa, claro. 

Isso porque o testador de jogos precisa experimentar muitas vezes uma mesma cena ou fase, já que o principal objetivo do seu trabalho é achar bugs ou erros que podem ser encontrados pelos usuários do game. Sim, você recebe para jogar, mas de forma sistemática, repetida e sob uma outra perspectiva e olhar técnico não apenas para entretenimento.

Curso de graduação em Jogos Digitais

Existem no mercado cursos de graduação tecnológica em Jogos Digitais que preparam o profissional para atuar nesse mercado em cerca de dois anos e meio. Vale lembrar que a área de produção de games é muito semelhante à de cinema: embora a maioria sonhe em trabalhar em uma grande produção, até chegar lá provavelmente será preciso atuar em nichos menores.

No caso dos jogos digitais, por exemplo, o profissional pode começar a carreira desenvolvendo jogos de simulação de negócios ou jogos educativos para empresas. A boa notícia é que o curso de graduação prepara o profissional para todos esses mercados. Assim, os formados na área podem atuar em departamentos de TI de empresas privadas, fábricas de software, órgãos públicos ou como consultores autônomos.

Na Estácio, uma das maiores instituições de ensino superior do País, por exemplo, a graduação em Jogos Digitais tem dois anos e meio de duração. A grade curricular do curso tem disciplinas de diferentes áreas, como Programação, Computação Gráfica, Roteiros e Personagens, Empreendedorismo, Inovação e Gestão.

Essa diversidade de conhecimentos do curso de Jogos Digitais visa preparar o profissional para que ele possa atuar tanto em uma instituição pública ou privada quanto capacitar-se para trabalhar por conta própria.